Governo já bloqueou 500 mil benefícios

A secretária executiva do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Arlete Sampaio, informou ontem que cerca de 500 mil famílias inscritas no Bolsa-Família tiveram seus benefícios bloqueados em 2009 porque bases de dados mostraram que a renda per capita superava os parâmetros do programa. "Fizemos o batimento das informações com o NIS (Número de Identificação Social) e conseguimos eliminar algumas famílias e abrir espaço para outras, que esperavam vaga", explicou.Arlete afirmou que, por ano, cerca de 1 milhão de famílias são excluídas do programa por vários motivos, como divergência entre a renda declarada e a real e não-cumprimento de condicionalidades. "Hoje, 86% das crianças são fiscalizadas quanto ao cumprimento da condicionalidade de frequentar pelo menos 85% das aulas. Queremos chegar a 100%", disse ela, após entrevista coletiva para apresentar a visita de hoje do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Rio.Desde o início do Bolsa-Família, segundo ela, 2 milhões de famílias saíram do programa. Até o fim do ano, deverá ser atingido o teto - 12,9 milhões de famílias, 1,4 milhão a mais do que hoje. O número será mantido até o fim do governo. Novos beneficiários só serão aceitos nas vagas dos excluídos. O Orçamento, de R$ 12 bilhões este ano, será mantido em 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.