Governo gaúcho rescinde contrato com empresa de Cachoeira

O governo gaúcho anunciou ontem que rescindiu o contrato com a Capital Construtora e Limpeza Ltda, que operava a Loteria Estadual do Rio Grande do Sul (Lotergs). O secretário estadual da Fazenda, Paulo Michelucci, explicou que a empresa não apresentou toda a documentação exigida por lei sobre a mudança societária que promoveu em dezembro de 2003, quando alterou sua denominação para BET-Capital. O empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, é um dos sócios da BET-Capital, segundo o governo.Ramos se tornou conhecido após a divulgação de vídeo em que o ex-sub-chefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz - exonerado do cargo em fevereiro - aparece negociando com ele o pagamento de propina. O contrato tinha sido assinado em dezembro de 2002 e deveria vigorar até 2005. A BET-Capital tem em sua composição a BET Co. Ltda (50%), a Teclogic Tecnologia Eletrônica Ltda (49%) e Lenine Araújo de Souza, com 1%. A Teclogic, por sua vez, tem como sócios Carlos Augusto Ramos e Lenine Araújo de Souza. Com a rescisão do contrato, a loteria estadual foi suspensa por tempo indeterminado. Além da falta de documentação, a empresa descumpriu uma cláusula financeira do contrato a partir de 2004, disse o secretário. A comercialização de bilhetes rende uma participação ao Estado, que não estava sendo repassado pela Capital. O atraso de 11 parcelas gerou uma dívida de R$ 800 mil. O governo irá analisar a viabilidade econômica da loteria. A atividade apresentou déficit nos últimos dois anos. O retorno da loteria dependerá da conclusão da análise que será feita no prazo de quatro meses. A extração da próxima terça-feira, que já estava marcada, será a última antes da suspensão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.