Governo federal vai entrar na campanha de Haddad, diz Goldman

Para o ex-governador de São Paulo e provável membro da equipe de Serra, participação da 'máquina' ocorrerá como nas demais eleições

Gustavo Uribe, da Agência Estado

07 de março de 2012 | 12h40

O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman disse na manhã desta quarta-feira, 7, que não tem dúvida sobre a entrada da máquina federal na campanha do petista Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. O tucano, que deve integrar a equipe de coordenação do pré-candidato do PSDB José Serra avaliou que se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tiver condições, ele subirá no palanque de Haddad. "Eu não tenho dúvida nenhuma", afirmou, ao participar de evento de entrega de três novos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). "Isso ficou claro na posição do PT, o governo federal vai entrar como sempre entrou", acrescentou.

 

Goldman lembrou que, nas últimas eleições municipais, o então presidente Lula participou das campanha da atual senadora Marta Suplicy (PT-SP). "Se o Lula tiver condições de subir em palanque, ele o fará, como fez com a Marta Suplicy nas últimas eleições. Ainda mais que, neste caso, é o ministro dele, um candidato que ele lançou", disse, numa referência a Fernando Haddad, que foi ministro da Educação.

 

O ex-governador rebateu crítica feita ontem por Haddad, em debate promovido na Capital. O petista disse que o ritmo de ampliação da rede metroviária em São Paulo é lento e ressaltou que São Paulo constrói apenas dois quilômetros de metrô por ano. "Pergunte ao Fernando Haddad a contribuição do governo federal ao metrô de São Paulo", ironizou, complementando: "Nada, nada, zero, o máximo que fizeram foram pequenos financiamentos recentes do BNDES."

 

O tucano recomendou, ainda, que o pré-candidato do PT estude mais, antes de fazer críticas. "O ex-ministro parece que não entende muito de educação e, no resto, entende muito menos", criticou. "Antes de falar, precisa estudar mais."

 

Prévias. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, entregou nesta manhã três novos trens da CPTM, para a Linha-8 Diamante. Ele não quis comentar a crítica feita por Haddad. "Não devemos misturar campanha eleitoral com governo, isso não é bom para São Paulo e não é bom para o Brasil". E reafirmou que as prévias para a escolha do candidato do PSDB na Capital estão marcadas para o dia 25 de março e não há nenhuma alteração prevista.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012serrahaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.