Governo faz campanha nas redes sociais contra corte no Bolsa Família

Ofensiva tem como objetivo pressionar parlamentares a votarem contra o corte de R$ 10 bilhões no orçamento do programa proposto pelo relator-geral do Orçamento de 2016, deputado Ricardo Barros

Renata Veríssimo, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2015 | 21h32

O governo iniciou uma ofensiva nas redes sociais para pressionar os parlamentares a votarem contra o corte de R$ 10 bilhões no orçamento do programa Bolsa Família em 2016, conforme proposto pelo relator-geral do Orçamento, deputado Ricardo Barros (PP-PR). Com o slogan “O Bolsa Família precisa de você”, a página no Facebook do ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) pede para a população mobilizar sua redes e pressionarem os deputados para evitar que o Orçamento de 2016 seja cortado.

O Bolsa Família já fez tanto pelo Brasil, agora ele precisa de você! Confirme presença, convide seus amigos, mobilize:...Posted by Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome on Segunda, 14 de dezembro de 2015

A presidente Dilma Rousseff também falou sobre a importância do programa na sua página pessoal e na do Palácio do Planalto, com um link remetendo para a campanha do ministério. “No Dia Nacional de Combate à Pobreza, comemorado nesta segunda, lembramos que o Bolsa Família, além de ser o maior programa de transferência de renda do mundo e exemplo para outros países, é responsável por tirar 36 milhões de pessoas da extrema pobreza e por manter 17 milhões de crianças na escola”, disse a presidente.

No Dia Nacional de Combate à Pobreza, comemorado nesta segunda (14), lembramos que o Bolsa Família, além de ser o maior...Posted by Palácio do Planalto on Segunda, 14 de dezembro de 2015

A campanha do ministério do Desenvolvimento Social informa que está em debate na Câmara dos Deputados uma proposta de corte de R$ 10 bilhões no Bolsa Família para o ano que vem. “Se aprovada, 23 milhões de pessoas sairiam do programa e 8 milhões voltariam para a extrema pobreza”, diz a página. “Ajude a mobilizar as suas redes, fale com o seu deputado, deixe o seu depoimento. Ajude a impedir que os mais pobres paguem a conta”, continua. A previsão é que o orçamento de 2016 seja votado esta semana.

Segundo o ministério, “é impossível” cortar parcela da dotação do Bolsa Família no Orçamento de 2016 sem provocar “um gravíssimo retrocesso social no país”, com impacto inclusive nos indicadores de saúde e educação. O governo afirma que a tesourada retira 23 milhões de pessoas do programa de transferência de renda. “Esse corte colocaria em risco conquistas como a superação da extrema pobreza, aumento da frequência escolar e redução da mortalidade infantil”, disse.

O MDS acusa o relator de distorcer informações da Controladoria-Geral da União (CGU) sobre a existência de famílias beneficiárias com renda superior aos R$ 154 por pessoa, valor que garante o acesso ao programa. “A própria CGU reconhece que os cruzamentos de dados empreendidos pelo ministério e a atualização dos cadastros são rotinas que mantêm o Bolsa Família com foco nos mais pobres”, explica. Por fim, o ministério argumenta que não são apenas as famílias beneficiárias que perdem com eventuais cortes. “O dinheiro do Bolsa Família ajuda a movimentar a economia de Estados e municípios. Todos perdem”,afirma. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.