Divulgação/Ministério da Saúde
Divulgação/Ministério da Saúde

Governo exonera superintendente do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro

Nomeado por Pazuello no ano passado, coronel George Divério assinou contratos de R$ 29 milhões sem licitação

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2021 | 12h35

BRASÍLIA - O governo federal demitiu George da Silva Divério do cargo de Superintendente Estadual do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro. Coronel do Exército, ele foi nomeado pelo então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, em junho de 2020. A exoneração de Divério foi assinada pela Casa Civil da Presidência e publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira.

De acordo com reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo, Divério assinou, em novembro do ano passado, contratos de R$ 29 milhões com duas empresas, sem licitação, para fazer reformas em prédios da pasta no Estado, em plena pandemia. As obras foram consideradas urgentes, por isso a licitação foi dispensada. Depois de assinados, os contratos foram anulados pela Advocacia-Geral da União (AGU), que não constatou razão para a dispensa de licitação. 

Recentemente, o vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid (CPI) do Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que existe a possibilidade de a comissão pedir a quebra de sigilo bancário de empresas e citou como exemplo o caso das companhias que iriam reformar imóveis do Ministério da Saúde no Rio contratados por Divério.

De acordo com Rodrigues, esses fatos "não esclarecidos" precisarão ser abordados pelo colegiado. Rodrigues também criticou o valor dos contratos. Segundo ele, o valor representaria 750 mil doses de vacina contra covid-19. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.