Governo exclui secretarias de limite do cartão corporativo

Portaria que limita saques a 10% das despesas anuais não se aplica às secretarias que foram alvo de denúncias

Agência Estado,

15 de novembro de 2008 | 16h40

 A Casa Civil baixou portaria para limitar os saques com cartão corporativo a 10% das despesas anuais. A partir de agora, os saques só poderão ser feitos em estabelecimentos que não aceitem outra forma de pagamento, como crédito ou débito. A determinação, porém, não se aplica às Secretarias Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e da Pesca. Os dois órgãos foram alvo de denúncias de uso irregular de cartão corporativo. Na época, a então ministra Matilde Ribeiro, da Igualdade Racial, foi afastada do cargo.  Veja Também:Entenda a crise dos cartões corporativos   A determinação da Casa Civil, publicada na sexta-feira no Diário Oficial da União, foi assinada por Erenice Guerra, secretária-executiva do órgão, que foi apontada como suspeita de ser mandante do dossiê com dados com cartões do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, a Secretaria Especial dos Direitos Humanos, a de Políticas para as Mulheres, a de Relações Institucionais e a de Comunicação Social estão isentos de cumprimento da norma.

Tudo o que sabemos sobre:
cartão corporativoCasa Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.