Governo estuda forma de ajudar desempregados dos bingos

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, disse que o governo estuda alternativas no seguro-desemprego para atender os trabalhadores do setor de bingos que ficaram desempregados com a edição da Medida Provisória 168, que determinou seu fechamento. Ele não soube dizer quantos trabalhadores ficaram desempregados em conseqüência da MP porque, segundo ele, grande parte das empresas do setor funcionava com razão social diferente daquela relacionada a sua atividade, o que impede sua identificação nos cadastro do governo. Segundo o ministro, boa parte dos trabalhadores em bingos não era contratada formalmente para a atividade. Berzoini informou que pretende levar, até a semana que vem, alternativas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele possa decidir o que o governo oferecerá a esses trabalhadores. A dúvida, segundo o ministro, é quanto à posssibilidade de atender esse segmento com o seguro-desemprego, que atualmente atende desempregados pelo período de três a cinco meses e lhes oferece cursos de requalificação profissional. O ministro disse que solicitou às entidades represenatativas dos bingos a lista de associados para identificar as empresas e quantas pessoas empregavam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.