Governo estuda força-tarefa para investigar assessores de Roriz

O governo federal planeja organizar uma força-tarefa para investigar a relação de assessores do governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PMDB), com grileiros de terras públicas na capital federal.O assunto já está sendo estudado pela assessoria jurídica do Ministério da Justiça, e adecisão pode ser anunciada nos próximos dias.O principal foco da atuação do gruposerá em torno das gravações reveladas recentemente, envolvendo secretários de Roriz,integrantes do poder Judiciário e o deputado distrital eleito, Pedro Passos, acusado deser o maior grileiro do DF, com participação direta em vários condomínios eloteamentos irregulares.A força-tarefa será nos mesmos moldes das montadas no Rio de Janeiro e EspíritoSanto, mas a atuação será diferente. ?Nos dois Estados, os grupos especiaisestão trabalhando em cima do crime organizado e narcotráfico, mas no Distrito Federalcentralizará seu foco na grilagem de terras?, informou uma fonte do Palácio do Planalto.?O primeiro passo serão as gravações feitas pela Polícia Federal.?A divulgação dos diálogos entre Passos, o secretário de Comunicação do GDF, Weligton Moraes, o desembargador do Tribunal de Justiça do DF Welligton Medeiros, que também envolveo presidente da Terracap ? empresa imobiliária do governo ? Eri Varela, chocaram asautoridades federais.?Não existe nenhuma desconfiança direta em relação ao governador Roriz, mas há uma suspeita muito grande em torno de seus assessores e amáfia da grilagem?, afirmou a fonte. Pedro Passos chegou a ter sua prisão preventiva decretada durante a campanhaeleitoral. Ele e seu irmão, sócio nos negócios, Márcio Passos. Pedro ficou escondido por vários dias até que a medida fosse revogada.Recentemente, gravações divulgadas pela imprensa mostraram a estreita relação entreo deputado distrital eleito e o desembargador Medeiros, que facilitaria decisões judiciaisem favor de seus loteamentos. Além disso, expõe as divergências entre Passos e Varela, além de Moraes.O ministro da Justiça, Paulo Tarso Ribeiro, não confirmou a força-tarefa, mas não descartou aexistência do estudo dentro do Ministério.Nesta quarta-feira, o PT entrou com mais uma ação na Justiça contra o governador JoaquimRoriz. O deputado distrital Wasny de Roure (PT) encaminhou uma notícia-crime aoSuperior Tribunal de Justiça (STJ) contra Roriz (PMDB).Roure afirma que o governador estaria desrespeitando a legislação que determina o repasse mensal de 2% da receitaorçamentária do Distrito Federal para a Fundação de Apoio à Pesquisa (FAPDF). ?Curiosamente o percentual destinado à Fundação de Apoio à Pesquisa tem sido muitíssimo aquém daquele determinado pelo legislador?, sustenta o deputado.?No ano de 1999, 0,0413% foi repassado; em 2000, 0,0476%; em 2001, 0,0467% e, nocorrente ano, somente 0,0059% correspondente à receita orçamentária foi destinado aoFAP?, acrescenta Roure.Segundo o STJ, o deputado quer que o tribunal instaure um inquérito contra Roriz paraapurar ?possíveis irregularidades que possam estar resultando em concreto prejuízo aointeresse público da população do Distrito Federal?.A ordem no PT do Distrito Federal,derrotado por Roriz no segundo turno das eleições, é cercar o governador por todos oslados, na tentativa de mostrar que, além do uso indevido de terras públicas incentivadas,segundo o PT, pelo próprio governo, a corrupção também é grande na administraçãolocal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.