Governo estuda aumento escalonado do FGTS a partir 2016, diz líder do PMDB na Câmara

Proposta foi discutida na manhã desta terça, em reunião entre o vice-presidente, Michel Temer, com ministros e parlamentares no Palácio do Jaburu

Rafael Moraes Moura e Gustavo Porto, O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2015 | 12h57

BRASÍLIA - O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ), disse nesta terça-feira, 18, que o governo discute um aumento escalonado do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) a partir de 2016. Nesta manhã, o vice-presidente Michel Temer se reuniu com ministros e deputados no Palácio do Jaburu para discutir o projeto que muda cálculo de correção do FGTS.

"O projeto está na pauta de hoje e está sendo discutida um acordo que dê ganhos ao trabalhador e que se tire as dúvidas que tem sobre o impacto do financiamento social da habitação. Está se tentando chegar um acordo que escalone a entrada, o aumento dos rendimentos das contas do FGTS, a partir de 2016, isso dará um prazo para que possa se avaliar os impactos", disse Picciani, ao chegar ao gabinete da Vice-Presidência. 

"Creio que o que se busca é um entendimento em que todos saiam ganhando", ressaltou o líder peemedebista.

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, chegou há pouco à Vice-Presidência para discutir o assunto com Picciani e Temer. 

Tudo o que sabemos sobre:
CâmaraPMDBFGTSMichel Temeraumento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.