Governo estima público de 150 mil no funeral

RECIFE - O governo de Pernambuco já trabalha com a possibilidade de que o funeral de Eduardo Campos reúna de 100 mil a 150 mil pessoas nas ruas do Recife. A cerimônia também deverá ser acompanhada pelas principais autoridades políticas do País.

DAIENE CARDOSO, JOÃO DOMINGOS, ENVIADOS ESPECIAIS / RECIFE, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2014 | 02h00

A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, e o presidenciável do PSDB, Aécio Neves, confirmaram presença. Além deles, dez governadores vão acompanhar o funeral.

Os restos mortais de Campos serão transportados em carro do Corpo de Bombeiros da base aérea do Recife até o Palácio Campo das Princesas, sede do governo estadual, onde vai ocorrer o velório. Também serão transportados - em carros funerários - os restos mortais do assessor de imprensa Carlos Percol e do fotógrafo Alexandre Severo, que serão velados juntos com o ex-governador. O cinegrafista Marcelo Lira será velado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista (PE).

O cerimonial contava ontem com a possibilidade de os restos mortais chegarem à base aérea de Recife só na noite de hoje ou na madrugada de amanhã.

O velório será na calçada da sede do governo. Uma foto de cada um será colocada sobre os caixões, que devem estar cobertos com as bandeiras do Brasil. A viúva de Campos, Renata, já escolheu a foto que ficará sobre o caixão do marido: o candidato aparecerá com uma bandeira do Brasil de fundo.

Uma rua nas imediações do Palácio será destinada para o estacionamento dos ônibus que estão a caminho da capital pernambucana com eleitores e admiradores de Campos. O cerimonial do governo já estimava que a despedida a Campos reuniria mais admiradores que as 80 mil pessoas que acompanharam o funeral do avô, o ex-governador Miguel Arraes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.