Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Governo espera aprovar reforma tributária até outubro

O ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, afirmou que diminuir os juros e as tarifas deve ser uma obsessão para o governo. Ele disse que espera, até outubro, aprovar a reforma tributária, por causa do princípio da noventena. "Vamos fazer um grande esforço, uma corrida contra o tempo", afirmou. Ele admitiu a possibilidade de a taxa de juros cair cinco vezes até dezembro, nas reuniões que acontecem até o final do ano. Ele afirmou que, o ideal, é que a Selic chegue a um nível entre 15% e 18% ao ano. Ele fez essas afirmações em reunião com líderes políticos, sindicais e de movimentos sociais do PT, PPS e PMDB, particos que dão sustentação ao governo em Palmas. O ministro criticou o sistema financeiro, afirmando que os bancos têm que dar sua quota de sacrifício. "Temos que reformar o sistema financeiro bancário e isso é uma tarefa dura e difícil", afirmou. Ele disse essa é uma das tarefas dos partidos aliados, como também reformar o papel do Estado brasileiro, para devolver as condições de financiamento da economia. Ele chamou a atenção para a necessidade da reforma da Previdência, defendeu o teto de R$ 2.400 para as aposentadorias e condenou a paridade. Ele disse que, com esse sistema, haverá menos recursos para reajustar os salários dos servidores se, a cada aumento, tiver que conceder reajuste também aos aposentados. Dirceu reafirmou que, quando aprovar as reformas e a lei de falências será possível ter condições reais para a retomada do crescimento. Ele disse que o governo quer fazer um esforço para se libertar de algumas amarras impostas pelo acordo com o FMI e, assim, poder fazer mais investimentos na área social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.