Governo e sindicalistas não fecham acordo sobre o mínimo

Governo e sindicalistas não chegaram a um acordo sobre o novo valor do salário mínimo. Na reunião de hoje as centrais sindicais sugeriram que o novo valor do mínimo seja de R$ 350,00, desde que haja uma antecipação do pagamento de 1º de maio para 1º de março e também que em 2007 a data-base para o reajuste do salário mínimo passe a ser janeiro. Essa proposta também inclui a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física em 10%. A informação foi dada pelos representantes das seis centrais sindicais, em entrevista coletiva, depois da reunião com os ministros do Trabalho, Luiz Marinho e da Secretaria Geral, Luiz Dulci.O presidente da CUT, João Felício, disse que os dois ministros se comprometeram levar a proposta para análise do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que ficou acertado um novo encontro entre as partes, na quinta-feira da próxima semana, pela manhã. "Caso haja acordo, conversaremos com o presidente Lula na quinta (dia 19) à tarde", disse Felício.O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, Paulinho, resumiu a questão dizendo que a discussão hoje está entre o mínimo de R$ 350 e R$ 360. Segundo ele, se o governo não aceitar a antecipação da data-base, as centrais pretendem insistir no valor de R$ 360,00. "Se o governo aceitar a troca seria uma grande vitória para nós, porque atenderia pedido antigo dos trabalhadores de começar o ano com o reajuste", afirmou. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, dará entrevista em instantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.