Governo e oposição esfriam CPI dos Correios após lista de Furnas

A pouco menos de dois meses do fim da CPI dos Correios, o governo e a oposição fecharam um acordo para não ampliar o leque de investigações da Comissão: vão evitar uma nova convocação do publicitário Duda Mendonça e o depoimento do ex-diretor de Furnas Dimas Toledo, apontado como um dos cabeças de um suposto esquema de arrecadação de recursos de campanha em favor de candidatos do PSDB, nas eleições de 2002. No mesmo pacote de trocar um depoimento pelo outro, a cúpula da Comissão também negocia com a base aliada e a oposição a derrubada do requerimento que prevê a convocação do banqueiro Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos. O banqueiro é amigo do senador José Sarney (PMDB-AP) e muito ligado aos petistas. Leia mais detalhes sobre o acordo na edição desta sexta-feira do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.