Governo e aliados ainda sem acordo sobre o IRPF

Terminou sem acordo a reunião no gabinete do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Arthur Virgílio, entre governo e os líderes governistas para discutir a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física e o novo valor do salário mínimo. Segundo relato do vice-líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PPB-PR), o governo apresentou a proposta de aumento da base de dedução da declaração do Imposto de Renda de 20% para 25%, e de aumento do limite de dedução de R$ 8 mil para R$ 10 mil. Os líderes ficaram de reunir suas bancadas para discutir a proposta e o assunto voltará a ser debatido amanhã, em reunião com o presidente da Câmara. Quanto ao salário mínimo, o governo, segundo Bastos, voltou a afirmar que não há fonte de recursos para aumentar o valor para R$ 200, a não ser que sejam cortadas as emendas das bancadas no orçamento da União.O líder do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), ficou de conversar com as bancadas para saber da disposição delas em aceitar os cortes. Se concordarem, a proposta de aumento do mínimo poderá ser votada amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.