Governo do RS anuncia devassa no Daer e trava CPI

O governo do Rio Grande do Sul anunciou uma devassa no Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) e travou temporariamente a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades na autarquia na Assembleia Legislativa.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

30 de março de 2011 | 19h25

O Daer ficou no centro de uma série de suspeitas depois que um de seus funcionários, já afastado e preso preventivamente, tratou de negociatas que envolveriam licitações viciadas e pagamento de propina com um suposto representante de prefeitura, na realidade um repórter da Rede Globo com uma câmera oculta, no dia 13 de março.

Logo depois, o deputado estadual Diógenes Basegio (PDT) começou a colher assinaturas para a CPI. A bancada do PT chegou a anunciar apoio à proposta no dia 22. Mas recuou hoje, depois de o governo prometer ontem que fará uma investigação completa nas licitações e contratos da autarquia, com a participação, na equipe de investigação, de representantes da Casa, do Tribunal de Contas e Ministério Público Estadual.

"CPIs ocorrem quando o Executivo cruza os braços, se intimida, não reage", afirma a líder do governo na Assembleia, deputada Miriam Marroni (PT), ao justificar a mudança de posição. "Agora há um coletivo trabalhando na reestruturação do Daer e não tenho como não acreditar no meu governo".

A bancada do PDT, que já havia colocado quatro assinaturas no requerimento, desistiu da proposta, deixando Basegio sozinho. O deputado promete insistir. Hoje ele conseguiu o apoio de sete dos oito parlamentares do PMDB, dos cinco do PSDB e do único do DEM. O pedido tem 14 adesões e precisa de mais cinco para ser aprovado. Há perspectiva de que avance para 17 com o provável apoio dos dois deputados do PPS e de mais um do PMDB.

Mais conteúdo sobre:
RSCPIAssembleia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.