Governo do RJ dá crédito a ex-presidiários

Ex-presidiários estão se tornando microempresários do setor de cocos. A Secretaria de Estado do Trabalho oferece crédito de R$ 1.160 para compra de carrocinha e do material necessário para as primeiras vendas - coco, gelo e uniforme. O pagamento deve ser feito em até seis meses. O programa, feito em parceria com a ONG Instituto Nelson Mandela, tem 300 ex-presidiários trabalhando em 150 carrocinhas - o empréstimo foi oferecido para cada dupla - no Centro e Méier, na zona norte.Nesta semana, a ONG oferece mais 50 vagas para egressos do sistema penitenciário que queiram trabalhar nos carrinhos de venda de água de coco. Os assalariados receberão vencimento fixo, comissão sobre a venda e assistência jurídica - também são aceitos homens e mulheres que estejam em liberdade condicional.O secretário Jaime Cardoso calcula que cada carrocinha esteja faturando R$ 1.100 mensais. "O empréstimo foi oferecido pelo Banco do Povo para quem não tem condição de ter acesso ao sistema formal. E o ex-presidiário é a clientela típica do Banco do Povo. É claro que há a preocupação social com o sujeito que mostra interesse em sobreviver sem estar envolvido com a marginalidade", disse. O secretário informou que estuda outros formatos de incentivo ao ex-presidiário. "Abraçamos a proposta da ONG, mas buscamos outras formas de fomento", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.