Governo do Rio pede desculpas a Dilma e outros torturados da ditadura

Cerimônia homenageou 120 ex-presos políticos; desde 2001, Estado já indenizou 895 torturados entre 1964 e 1985

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

04 Junho 2012 | 19h08

RIO - O governo do Estado do Rio promoveu às 15h desta segunda-feira, 4, uma cerimônia para entregar cartas com pedidos oficiais de desculpas a 120 ex-presos políticos torturados no Rio durante a ditadura militar que vigorou de 1964 a 1985. O evento ocorreu no ginásio Caio Martins, em Niterói, na Região Metropolitana.

Uma das homenageadas seria a presidente Dilma Rousseff (PT), mas ela não prestigiou o evento nem enviou outra pessoa para representá-la na condição de vítima de perseguição política. Segundo a Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, a carta será enviada para a presidente em Brasília.

Desde 2001, quando o Estado do Rio instituiu a Lei de Reparação, 1.113 pessoas pediram indenização ao governo fluminense. Desses, 895 já foram deferidos e 194, indeferidos. Foram pagas 650 indenizações de R$ 20 mil e restam 245, que devem ser pagas até o fim de 2013. Ainda existem processos a serem analisados.

Mais conteúdo sobre:
torturaRioDitaduraDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.