Governo do Rio ainda não sabe se pagará servidores

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o secretário da Fazenda, Joaquim Levy, ainda não garantiram que o pagamento dos funcionários públicos estaduais será realizado nas datas previstas. Questionado nesta segunda-feira se haveria recursos suficientes em caixa, Cabral limitou-se a responder: "pergunta para o secretário Levy; ele está lá atrás". O secretário também não respondeu.Cabral e Levy participaram nesta segunda-feira da solenidade de assinatura de convênios entre o governo do Estado e o município do Rio. De acordo com avaliações feitas neste domingo, o governo estadual teria dinheiro para pagar apenas os salários dos servidores que recebem entre segunda e terça.Possível atrasoA Secretaria de Fazenda ainda não podia confirmar no domingo se terá dinheiro para quitar integralmente os servidores que recebem na quarta-feira - justamente os maiores salários, acima de R$ 950 e que consomem 88,88% do dinheiro. O órgão depende da arrecadação desta semana e de algumas ?alternativas?, como a cobrança de dívidas. A hipótese de atraso não está descartada. Nesta segunda-feira, receberão os servidores com salários até R$ 500 - gasto de R$ 24,4 milhões. Na terça, serão pagos os vencimentos de quem ganha entre R$ 500 e R$ 950, em um dispêndio de R$ 46,8 milhões. A maior parte do dinheiro está programada para ser paga na quarta: R$ 569,3 milhões. A folha total do Estado é de R$ 640,5 milhões mensais.A ex-governadora Rosinha Garotinho (PMDB) afirmou ter deixado R$ 634 milhões em caixa e acusou o novo governo de querer aplicar o dinheiro no mercado financeiro. A secretaria constatou ter livres apenas R$ 88,6 milhões. Em Nova Friburgo, no domingo, perguntado sobre dinheiro para as vítimas das enchentes, o governador Sérgio Cabral desabafou: ?Não temos dinheiro nem para pagar salários".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.