Governo do PR consegue economia de R$ 70 mi

O Estado do Paraná conseguiu uma redução média de 19,46% em custeio nas várias secretarias de governo, o que representa uma economia de R$ 70 milhões durante o ano. Os valores foram apresentados hoje pelo governador Beto Richa (PSDB), após reunião com o secretariado. A determinação de Richa, tão logo assumiu o governo, era que os secretários obtivessem pelo menos 15% de economia. "É um exemplo de medida austera", disse o governador. "O importante é que tenhamos as contas equilibradas para que a gente consiga avançar".

EVANDRO FADEL, Agência Estado

05 de dezembro de 2011 | 17h59

Richa comemorou também a atração de investimentos pelo Estado, que contou com o programa Paraná Competitivo, lançado no início do ano. Por ele, houve ampliação de incentivos fiscais. Segundo o governador, os investimentos confirmados chegam próximos a R$ 9 bilhões. Outros R$ 15 bilhões estão em negociação. Um protocolo com a Votorantim, que pretende investir R$ 650 milhões na ampliação das atividades em Rio Branco do Sul, na região metropolitana de Curitiba, estava previsto para ser assinado hoje.

Na quarta-feira, a Spaipa, fabricante da Coca-Cola, deve anunciar R$ 150 milhões para ampliação em Maringá e, na semana que vem, a Ambev deve confirmar nova unidade na região de Curitiba. "Com a estabilidade política e segurança jurídica muitos investimentos estão acontecendo", destacou o governador. Na reunião, a Secretaria da Fazenda disse que houve uma melhora de cerca de 15% nas receitas próprias do Estado.

Entre as parcerias com o governo federal destacadas por Richa está a concretizada com o Ministério da Justiça para a construção de novos presídios. No total, o Estado deve investir R$ 160 milhões. O governador disse que assumiu o Estado com taxa de 32 homicídios por 100 mil habitantes. "Não tem milagre que mude isso da noite para o dia", salientou. A informação é de que houve uma redução em 10% nessa taxa para o Estado, com um resultado melhor em Curitiba e região metropolitana, onde o índice teria se reduzido em 33%. Richa destacou ter contratado dois mil policiais militares e 695 policiais civis.

Richa salientou que o governo ainda tem um grande desafio, que é a melhoria da condição social de boa parte da população. "Envergonha a todos e é inaceitável que um terço de paranaenses viva em regiões ou municípios com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo do IDH médio nacional", afirmou. "Temos que ter um foco principalmente nessas regiões". Ele disse que cobrará mais agilidade das secretarias. "2012 tem que ser um ano de muitas realizações", decretou.

Tudo o que sabemos sobre:
Paranáeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.