'Governo distribuiu dossiê sem deixar rastro', diz Dias

Em entrevista, senador tucano diz que divulgação do documento contra FHC foi 'estratégia armada'

Andréia Sadi, do estadao.com.br

03 de abril de 2008 | 18h27

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse nesta quinta-feira, 3, que partes do dossiê contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foram distribuídas no Congresso, e que o documento tinha intenção clara de intimidar a oposição na CPI dos Cartões Corporativos. Em entrevista ao estadao.com.br, o senador disse que o episódio foi um "esquema armado" do governo e "não deixou rastros".   Veja Também:   Ouça a entrevista com Álvaro Dias  Veja o dossiê com dados do ex-presidente FHC  Entenda a crise dos cartões corporativos  Forúm: Quem ganha e quem perde com a CPI? Casa Civil faz 'caça às bruxas' para achar 'espião' do dossiê Oposição vai questionar Dilma sobre dossiê contra FHC em comissão Garibaldi lerá na 3ª pedido que cria CPI só no Senado      "Sim (distribuído), o governo fez o dossiê para intimidar a oposição. E distribuir parte dele, como forma de ameaçar. O governo fez o dossiê chegar sem deixar rastros, e até conseguiu, porque até o momento não encontramos ninguém que tenha sido responsável. É uma estratégia, e o governo tentou encontrar um bode expiatório", disse.   O senador disse não conhecer o suposto autor do dossiê. "Não foi só uma pessoa que viu, nem só uma pessoa que mostrou", disse. Em seu blog, o jornalista Ricardo Noblat responsabilizou Dias pelo vazamento das informações. O senador afirmou que antes da divulgação do dossiê pela revista Veja já tinha conhecimento do dossiê, que não era mais novidade há tempos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.