Governo deve exigir retratação do NYT, diz líder do PSDB

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), vai defender, no plenário, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e classificar como "grosseria" o tom da matéria publicada no jornal The New York Times insinuando que o presidente teria problemas com bebidas alcoólicas. Segundo o senador, o repórter Larry Rohter é apenas uma pessoa grosseira e não foi construtivo. "Ele tem poucos elementos para dizer que o presidente age por isso (a bebida insinuada na matéria)", afirmou Virgílio. A política externa dos Estados Unidos é "uma política bêbada", continuou o senador. Em pouco mais de 50 anos, aquele país se meteu em "dois Vietnãs", disse, referindo-se à guerra do Vietnã e ao atual conflito no Iraque. Para Virgílio, o que poderia dar margem a esse tipo de crítica é o desempenho do governo. Na avaliação do senador do PSDB, o presidente Lula está perdendo respeito e deveria "repensar o governo e retomar as rédeas. ?O presidente precisa redimensionar o tamanho do Brasil na política externa, porque o tempo está se esgotando, completou. Virgílio também condenou a nota do Palácio do Planalto sobre o episódio. A reação do Planalto foi "deplorável", a nota ficou no "disse-me-disse". O certo, na avaliação de Virgílio, seria o Planalto ter acionado o embaixador do Brasil nos Estados Unidos e exigido uma retratação do jornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.