Governo descarta mais 2 casos suspeitos de SARS

O Brasil registrou nesta quinta-feira mais dois casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars): um na cidade de São Paulo e outro na capital paraense Belém. Na quarta-feira foi registrado o primeiro caso, uma jornalista inglesa que viajou pelo sul da China, a região mais afetada pela doença. A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) descartou os dois casos de hoje. Um deles é um homem que esteve no Japão e na Tailândia. O hospital São Paulo, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), confirmou a internação, mas o médico que cuida do paciente disse que só forneceria detalhes nesta sexta-feira.A outra suspeita é um engenheiro brasileiro de 38 anos, proveniente da Malásia, que foi internado hoje às pressas no hospital Barros Barreto, com crise respiratória. O infectologista Antonio Caiado declarou que ainda é prematuro dizer se o paciente está com a pneumonia asiática.O diretor do Centro Nacional de Epidemiologia da Funasa, Jarbas Barbosa, disse que o paciente de Belém já saiu do Brasil com problemas pulmonares. "Nenhum dos dois preenche os requisitos de casos suspeitos da doença", afirmou. Segundo Barbosa, somente a inglesa se caracterizou como caso suspeito. Ele afirmou que os colegas da jornalista passam bem e que está praticamente afastado o risco de que algum deles tenha contraído a infecção.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.