Governo decide liberação de verba para SP até segunda

O governo federal decidirá até segunda-feira se vai liberar R$ 110 milhões para obras de emergência contra as enchentes na capital paulista. O pedido foi feito no início da noite de hoje pela prefeita Marta Suplicy (PT) ao ministro do Planejamento, Martus Tavares. O ministro discutirá o assunto nos próximos dias com os ministros PedroMalan (Fazenda), Ney Suassuna (Integração Nacional) e com o presidente Fernando Henrique Cardoso.Além de R$ 40 milhões para a construção de trêspiscinões na região do Córrego Aricanduva - que já haviam sido prometidos por Ney Suassuna -, a prefeitura quer mais R$ 70 milhões da União para combater o efeito das chuvas na região do Pirajussara.A Prefeitura alega que dispõe de apenas R$ 133 milhõesno Orçamento deste ano para obras deste tipo e que, se continuaraplicando anualmente esse montante, seriam necessários 26 anospara solucionar o problema das cheias em São Paulo."Não quero me ver numa situação de ter que esperar tanto e terdar uma desculpa a cada enchente", argumentou Marta ao sair daaudiência no Ministério do Planejamento. O pedido de verbaadicional conta com o apoio de toda a bancada paulista noCongresso e do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Os R$ 70milhões pleiteados a mais estão previstos em duas emendasaprovadas no Orçamento da União deste ano para obras de melhoriaurbana em São Paulo. Diante do agravamento das cheias na cidade,os parlamentares e o governador concordarm com oredirecionamento das verbas. Martus Tavares disse que vai conversar com o ministro daIntegração Nacional sobre a liberação da verba. Como as emendasforam incluídas no Orçamento do Ministério da IntegraçãoNacional, cabe a Ney Suassuna definir as obras beneficiadas,dentro dos limites de recursos estabelecidos pela área econômicapara os gastos deste ano. O governo cortou R$ 12 bilhões de despesas orçamentáriasincluídas no orçamento pelas emendas de parlamentares. Apesardos tetos apertados nos gastos, Martus Tavares prometeu estudaro assunto devido à importância das obras para reduzir asenchentes na capital paulista. Já os R$ 40 milhões inicialmente pleiteados deverão sairda chamada "reserva de contingência", uma rubrica no Orçamentoda União para cobrir despesas federais decorrentes de calamidaspúblicas, como é o caso das enchentes em São Paulo. Esta verbajá tinha sido prometida à prefeita há um mês pelo ministro daIntegração Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.