Governo de SP reafirma concessão de linha de metrô

A equipe do governo do Estado queviaja a Washington na terça-feira dirá aos dirigentes do BancoMundial (Bird) que concorda com a concessão da Linha 4 do Metrô(Vila Sônia-Luz). Para que o governador Geraldo Alckmin (PSDB)obtenha os US$ 209 milhões que quer do Bird sua equipe terá deconfirmar que a iniciativa privada ficará encarregada deinvestir pouco mais de US$ 470 milhões nas obras.De acordo com o secretário dos Transportes Metropolitanos,Jurandir Fernandes, já em 1994, quando o empréstimo começou aser pensado, o governo havia sido informado dessa "cláusula"."Depois, o Banco Mundial nos disse que essa participação dainiciativa privada teria de ser bem mais significativa do quesimbólica", explica.Mesmo após o encontro com os credores, será necessária ainda umarodada de negociações em Brasília para definir detalhes. Ogoverno do Estado vai preferir, no entanto, iniciar as obras e,paralelamente, preparar a concessão, para que não haja atrasosno cronograma de construção.Tentativa - O empréstimo e a concessão são parte da tentativa deconseguir tocar um projeto bastante caro: US$ 1,26 bilhão."Estamos tentando fazer um desenho que minimize os custos dessaobra para o Estado", afirma o secretário da Fazenda, FernandoDall´Acqua.Fernandes acredita que as concessões poderão ser um instrumentopara a expansão da rede de metrô. "Só nos interessa se for paraconstruir. O Metrô já faz bem a operação." Como exemplo, ele diz que a Linha 8 (Barra Funda-Carapicuíba)poderia ser candidata a uma concessão, o que não ocorreria com opercurso que atravessa a Avenida Paulista. "Não se podeconceder uma linha que já existe", diz.Programa - Na primeira etapa das obras da Linha 4, que começaano que vem e vai até 2006, está prevista a abertura de um túnelde 13 quilômetros de extensão e de cinco estações que seintegrarão às linhas que já existem: Butantã, Pinheiros,Paulista, República e Luz.Depois, na segunda etapa, que vai de 2006 a 2008, serãoconstruídas mais seis estações e comprados os trens. Futuramente, a expectativa é que esse trecho chegue ao município de Taboãoda Serra, localizado na Grande São Paulo. A expectativa dogoverno do Estado é que, só na primeira fase, 850 milpassageiros utilizem a linha diariamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.