Governo de SP quer transferir secretarias para reduzir custos

O governo de São Paulo está estudando transferir cinco ou seis secretarias, localizadas em regiões nobres da capital paulista, para o centro da cidade. A intenção do governo é comprar vários prédios na região, a fim de economizar no aluguel gasto com as administrações em locais mais valorizados. Segundo cálculos do governo, o custo da compra dos imóveis corresponderia à metade do que é gasto hoje com o aluguel das secretarias situadas por exemplo nas regiões valorizadíssimas da Avenida Paulista, 9 de Julho e Faria Lima.A medida, de acordo com o governador Geraldo Alckmin, faz parte de uma série de decisões que estão sendo estudadas para reduzir os gastos da máquina administrativa estadual e serão discutidas na reunião de secretariado, marcada para amanhã, das 9h às 16h no Instituto Florestal, zona norte da capital.Outro tema a ser debatido no encontro são os leilões eletrônicos para a compra de bens e serviços, instrumento que vem sendo adotado com sucesso por algumas pastas, mas não por todas. O governador disse que o mecanismo tem se mostrado um instrumento importante para melhorar a eficiência do gasto público e citou o exemplo recente da compra de 700 veículos, cujos preços ficaram em média 20% a 25% abaixo dos lances iniciais. "Algumas secretarias estão com nota 10. Outras nós vamos apertar. Se não comprar pelo pregão eletrônico, não terá dinheiro", afirmou o governador, sem mencionar quais pastas não estão correspondendo às expectativas.O governador argumentou que o Estado está passando por um momento de grande dificuldade, o que justifica as medidas. A arrecadação de junho está 5% abaixo do que foi previsto no orçamento, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.