Governo de SP gastou R$ 108 mi com cartões em 2007

O governo paulista gastou no ano passado R$ 108,4 milhões em despesas por meio de cartões de débito que estão nas mãos de cerca de 20 mil servidores em todo o Estado. Quase metade dessa quantia refere-se a saques em dinheiro - R$ 48,3 milhões ou 44,6%. São Paulo tem distribuídos por todo o Estado 42.315 cartões.O principal destino dos recursos sacados foi o pagamento de diárias de viagens a funcionários - R$ 13,4 milhões, ou seja, 27%. Já dos R$ 108,4 milhões movimentados pelos cartões, o maior gasto, de R$ 30,4 milhões, foi com ?despesas miúdas?. ?São compras de material de limpeza, higiene, artigos de informática, material de escritório?, explicou o secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa.Compra de vales-transporte e de peças para veículos da polícia também estão entre os maiores gastos. Criado em 2000, o cartão é usado para 47 tipos de despesas, incluindo contas de água, luz, telefone e correio, locação de veículos, combustível e materiais de consumo em geral. No caso dos saques, há limites de gasto de acordo com o tipo de despesa. Combustível, por exemplo, não pode ser pago com dinheiro sacado.Os dados sobre a movimentação dos cartões ficam registrados no sistema de acompanhamento do governo e foram divulgados pela liderança do PT na Assembléia Legislativa. Diferentemente dos cartões corporativos do governo federal - que ficam em poder de ministros e demais autoridades - , os cartões paulistas não estão à disposição de secretários de Estado, chefes de gabinete ou funcionários de confiança. Eles ficam sob responsabilidade de servidores que administram o controle das despesas. A fiscalização é feita pelos próprios departamentos de compras e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.