Governo de São Paulo vai rever contratos com a Delta

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou, nesta segunda, que o governo paulista irá rever os contratos do Estado com a Delta Construção, empresa citada nas investigações sobre a rede de influências de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

30 de abril de 2012 | 15h12

"Tínhamos contratos (com a Delta) que se encerraram e nem são do meu mandato. Agora, temos três ou quatro de pequeno valor; é sempre bom rever e analisar, é sempre positivo", disse Alckmin, na abertura da Agrishow, em Ribeirão Preto (SP).

O governador não citou valores nem quais contratos o governo paulista tem com a Delta, mas lembrou que a construtora tem atuação em São Paulo em obras federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "As obras da construtora são em nível federal, através do PAC, e no Rio de Janeiro", disse.

O governador defendeu ainda que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) criada no Congresso para apurar a rede de influências Cachoeira investigue os parlamentares. "Investigar é sempre bom, esclarecer é bom e se tiver algo de errado, punir", afirmou.

Agrishow

Na Agrishow, Alckmin sancionou o projeto que cede, por 30 anos para os organizadores, a área do Estado onde a feira é realizada há 19 anos. Com isso, a intenção é que sejam feitas obras de infraestrutura permanentes no local. Além disso, o governador anunciou a liberação de R$ 700 mil para investimentos no Centro de Cana, na cidade paulista, valor a ser utilizado em uma unidade de produção de mudas de cana, bem como a criação do Poupatempo Rural, para agilizar demandas do setor, como emissão de guias.

O governador ainda prometeu um investimento de R$ 173 milhões nas obras de ampliação do aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto. "O aeroporto será o mais importante do interior paulista depois de Viracopos", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.