Governo de PE autoriza indenizações para anistiados políticos

De um total de 277 pessoas, 88 devem receber até o fim do ano valores que variam de R$ 3 mil a R$ 30 mil

Agência Brasil,

31 de julho de 2007 | 16h37

O governo de Pernambuco autorizou nesta terça-feira, 31, o início do pagamento de indenizações a anistiados políticos que, no período de 31 de março de 1964 a 15 de agosto de 1979, foram presos e torturados no Estado. O pagamento das primeiras indenizações deve ser concluindo até o final deste ano.   Os valores, aprovados pela comissão especial formada por representantes do governo e da sociedade civil para analisar os processos, variam entre R$ 3 mil e R$ 30 mil, dependendo da gravidade das seqüelas físicas e psicológicas sofridas pelas vítimas da ditadura militar. O direito ao recebimento das indenizações foi assegurado desde 2000, com a aprovação de uma lei específica, pela Assembléia Legislativa do Estado.   Segundo o secretário de Desenvolvimento Social e Justiça, Roldão Joaquim, são pessoas que foram perseguidas pelo regime autoritário por lutarem pela democracia no País. "Na época do governo dos chamados generais esses cidadãos tiveram mutilados os seus direitos, a sua liberdade e alguns perderam a vida. O governador, após constatar que essas pessoas foram vítimas do regime, manifestou interesse em contribuir para resgatar os direitos postergados".   Do total de 277 pessoas que têm direito a indenizações, 88 foram selecionadas, levando em consideração a idade e o estado de saúde. Os 189 restantes devem receber as indenizações nos próximos três anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Anistiados políticosPernambuco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.