Governo dará reajuste para 800 mil servidores

MP será enviada ao Congresso na semana que vem, afirma ministro

Renata Veríssimo, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

14 de março de 2008 | 00h00

O governo vai encaminhar na próxima semana ao Congresso uma medida provisória fixando reajustes salariais para 11 categorias, que juntas somam quase 800 mil servidores. O aumento já havia sido negociado no ano passado, mas o envio da proposta foi suspenso por conta da extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Depois de uma reunião ontem entre o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e representantes dos servidores, ficou acertado que os acordos serão mantidos, mas os prazos para implementação dos reajustes vão ser ampliados para amenizar o impacto no Orçamento. Eles se darão entre 2008 e 2010."Ficou compatível com as condições que nós temos no Orçamento", afirmou Bernardo. Segundo ele, o governo tem R$ 3,5 bilhões este ano para os reajustes salariais. Os acordos fechados com as 11 categorias somam R$ 2,1 bilhões. Algumas delas já deveriam ter recebido aumento em dezembro de 2007 e em janeiro deste ano, mas o governo refez os cronogramas.O ministro informou que ainda existem pendências com outras categorias, como a dos militares. Ele disse que assumiu o compromisso de conversar com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, após a aprovação do Orçamento. "Até estranhei que ele não me ligou ainda, mas nós vamos conversar com certeza", disse. "Mas há também algumas categorias civis." Segundo o Ministério do Planejamento, ainda estão em negociação acordos com os servidores da Polícia Rodoviária Federal, Ministério da Fazenda, Banco Central, Receita Federal, Advocacia-Geral da União, Imprensa Nacional, além dos médicos peritos. "Todos estão sendo tratados. Temos feito reuniões, mas não tem uma previsão", disse Bernardo. NÚMEROR$ 2,1 bilhões é o custo dos acordos de reajuste salarial para 11 categorias do funcionalismo federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.