Governo confirma reajuste para 800 mil servidores

O governo vai encaminhar na próxima semana ao Congresso uma medida provisória (MP) que reajusta o salário de 11 categorias, que juntas somam quase 800 mil servidores. Os aumentos já haviam sido negociados no ano passado, mas o envio da proposta foi suspenso em razão da extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Depois de uma reunião hoje entre o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e representantes dos servidores, ficou acertado que os acordos serão mantidos, mas os prazos para implementação dos reajustes serão ampliados para minimizar o impacto no Orçamento. Os reajustes se darão entre este ano e 2010. "Ficou compatível com as condições que nós temos no Orçamento", afirmou Paulo Bernardo. Segundo ele, o governo tem R$ 3,5 bilhões este ano para serem gastos com aumentos salariais. Os acordos fechados com as 11 categorias somam R$ 2,1 bilhões. Pelos acordos iniciais, algumas categorias já deveriam ter recebido aumentos salariais em dezembro de 2007 e em janeiro deste ano, mas o governo refez os cronogramas de implementação jogando os prazos para frente.O ministro informou que ainda existem pendências com outras categorias, como os militares. Bernardo disse que assumiu o compromisso de conversar com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, sobre o aumento salarial dos militares após a aprovação do Orçamento, que ocorreu ontem. Ele informou que ainda está em negociação acordos com os servidores da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Ministério da Fazenda, Banco Central (BC), Receita Federal (RF), Advocacia Geral da União (AGU), Imprensa Nacional, além dos médicos peritos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.