Governo censurou ''Estado'' no dia que ato foi publicado

O nome e a foto de Márcio Moreira Alves são destacados logo no primeiro capítulo do livro Mordaça no Estadão - no qual o jornalista José Maria Mayrink relata a censura imposta ao jornal na ditadura militar. Ele recorda que a manchete do dia 13 de dezembro de 1968, dia da edição do Ato Institucional n.º 5 (AI-5), deveria ser a seguinte: "Câmara nega; prontidão".Era uma referência ao pedido feito pelo governo para processar o deputado. O jornal já estava sendo impresso, quando o general que chefiava a Polícia Federal em São Paulo passou pela oficina e leu um exemplar que acabara de ser rodado.O general não gostou do editorial intitulado Instituições em Frangalhos - com críticas ao presidente da República - e mandou apreender a edição. Começou ali a censura, um dia antes do AI-5 e em meio a uma crise cujo epicentro era Márcio Moreira Alves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.