Governo cede e vai receber comissão do MST

O governo cedeu hoje às pressões do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), e o presidente do Incra, Sebastião Azevedo, vai receber amanhã, em Brasília, às 18 horas, uma comissão de sem-terra para o início das negociações sobre a pauta da reivindicação do movimento. Os sem-terra exigem do Incra a liberação de crédito para custeio agrícola e o imediato parcelamento das áreas já desapropriadas. O diálogo do MST com o governo foi intermediado pelo superintendente do Instituto de Terras de Minas Gerais, Marcelo Rezende, e pelo prefeito de Uruana de Minas, Sebastião Caetano (PSDB). Para pressionar o governo, o MST estava ameaçando invadir a fazenda Renascença, de propriedade do embaixador do Brasil na Itália, Paulo de Tarso Flecha de Lima e localizada a 20 quilômetros de Uruana. Além do encontro de amanhã com o presidente do Incra, uma comissão de sem-terra se reunirá com a representação do governo de Minas em Brasília e com o presidente da Câmara Federal, deputado Aécio Neves (PSDB-MG). No encontro realizado hoje em Uruana, os sem-terra aceitaram conversar com o governo, mas vão permanecer no local. "Só vamos sair daqui quando tivermos uma resposta concreta à nossa pauta de reivindicações", anunciou um dos líderes do MST, Jorge Augusto Xavier.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.