Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Onyx pega covid de novo; ministro é contra demissão de antivacinas

O Ministro do Trabalho e Previdência confirmou estar com covid-19 pela segunda vez; em 2021, o aliado de Bolsonaro disse ter se tratado com ivermectina, azitromicina e cloroquina

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2022 | 15h13

O Ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), confirmou que testou positivo para covid-19 pela segunda vez. O anúncio foi feito ao lado de sua esposa durante transmissão realizada em seu perfil no Instagram. Segundo o ministro, ele está com sintomas leves e passa bem. A primeira vez em que testou positivo, em julho de 2020, o ministro afirmou que estava seguindo um tratamento com ivermectina, azitromicina e cloroquina.

Onyx é um dos defensores da portaria que proíbe demissão de funcionários por recusar vacina contra covid-19. A portaria, que foi assinada por ele mesmo, foi contestada tanto por entidades patronais quanto por sindicatos que representam o trabalhador e foi também questionada no STF pela Rede Sustentabilidade e pelo Solidariedade. Segundo ele, a medida tem o “poder de proteger o trabalhador contra medidas arbitrárias” por não haver justa causa para demitir ou evitar. 

Na época, o ministro também negou que a portaria seria um incentivo do governo para que as pessoas não se vacinem. Para o ministro, as empresas precisam oferecer alternativas ao funcionário que resolva não se imunizar. 

Além de Onyx, outro ministro de Bolsonaro testou positivo para a covid-19 este ano: o ministro do Turismo, Gilson Machado. A informação foi divulgada neste último sábado, 15. De acordo com a agenda pública de Bolsonaro, Gilson e o presidente tiveram uma reunião no Palácio do Planalto nesta quarta-feira, 12. Sem máscara, o ministro também participou de um evento oficial do governo com o chefe do Executivo e outros ministros.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.