Governo boliviano diz que desconhece esquema de lavagem de dinheiro

A divulgação da informação de que bancos bolivianos lavaram US$ 261 milhões do narcotráfico e, presumivelmente do terrorismo, feita nesta semana em Brasília pelo chefe da Unidade de Investigações Financeiras da Bolívia, Ramiro Rivas Montealegre, surpreendeu até mesmo as altas autoridades locais. Segundo a agência Ansa, o governo boliviano afirmou que nada sabia sobre o assunto.O ministro do governo da Bolívia, Leopoldo Fernandez, afirmou que a informação foi dada de forma irresponsável. "Soube pela imprensa", afirmou Fernandez à Ansa.Segundo ele, "nenhuma instância do governo conhece os dados que foram difundidos no Brasil". Ele assegurou que o próprio ministro da Fazenda, o superintendente de bancos e o ministro de governo desconheciam as informações.Mas a informação sobre o dinheiro lavado na Bolívia, onde figura também figura como envolvido o traficante brasileiro Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi dada na sede do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), durante a assinatura de acordo de colaboração entre o Brasil e a Bolívia.A descoberta do esquema, segundo Montealegre, é um dos primeiros resultados de um trabalho desenvolvido pelas autoridades de seu país e a Polícia Federal brasileira.O chefe da Unidade de Investigação Financeira da Bolívia mostrou inclusive gráficos para ilustrar suas explicações sobre como o dinheiro saía do Brasil, pela fronteira, ia para 82 contas em bancos bolivianos e depois seguia para o Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.