Governo aplica bem recursos do Orçamento, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, rebateu as críticas do deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC), de que o governo aplicaria mal os recursos disponíveis no Orçamento. "Despesas obrigatórias constituem 90% dos gastos do governo. Mas a parte que temos disponível no Orçamento é muito bem aplicada", afirmou Mantega. Ele destacou que o programa Bolsa Família já conseguiu tirar da miséria metade da população que estava nessa situação. "Isso já saiu no jornal. A população da miséria caiu de 8% para 4%", disse Mantega. O ministro também destacou que entre 2003 e 2007 os recursos destinados para a área da saúde pelo governo foram elevados de R$ 27,8 bilhões para R$ 44 bilhões. "Quase duplicamos os recursos para a saúde. O governo prioriza a saúde", afirmou Mantega. Ele também ressaltou que o governo federal cumpre a emenda 29 da Constituição Federal, que determina a aplicação de 12% da receita em Saúde. A maioria dos estados, segundo Mantega, não cumpre a emenda 29. O ministro também defendeu, na sua resposta ao parlamentar, o aumento do número de funcionários públicos no governo federal. Ele disse que o crescimento ficou concentrado nas áreas de educação, saúde, meio ambiente e segurança pública. "Substituímos terceirizados por servidores concursados", disse Mantega. O ministro comentou ainda que o aumento de funcionários da Polícia Federal contribuiu para aperfeiçoar o combate à corrupção no Brasil e que a elevação de funcionários do Ibama ajudou a acelerar os processos de concessão de licenças ambientais. "O governo anterior encolheu o Estado, enfraqueceu o Estado. Nós estamos restituindo a capacidade de atuação do Estado", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.