Governo amplia Bolsa-Família para conter evasão escolar

O governo começou ontem a pagar a extensão do programa Bolsa-Família para jovens de 16 e 17 anos. Isso significa 1,13 milhão de famílias que receberão mais R$ 30 por filho matriculado na escola que esteja nessa faixa etária. A medida, que eleva o repasse do programa em R$ 34,7 milhões por mês, visa a tentar controlar o abandono escolar acima dos 15 anos, idade em que o Bolsa-Família terminava. ?Verificamos que há um aumento do abandono e da inserção precária no mercado de trabalho em torno dos 15 anos, sem que os jovens tenham completado ao menos o ensino fundamental?, disse a secretária de Renda e Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social, Rosani Cunha. Como mostrou reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, em 9 de março, jovens nessa faixa etária preferiam largar a escola e iniciar o trabalho, pois os estudos não rendiam mais nada à família. Os dados coletados mostravam até aumento dos índices de abandono nas cidades em que o atendimento do Bolsa-Família é maior, especialmente em torno da 5ª série. A decisão de incluir os jovens foi debatida no ano passado e instituída por medida provisória em 29 de dezembro. Mas só agora o ministério conseguiu terminar o levantamento cadastral e descobrir quais famílias têm jovens nessa faixa etária e quais estão estudando. Ao contrário das famílias com crianças de 0 a 15 anos, que passam a receber o benefício mesmo antes de a família comprovar a matrícula, no caso dos jovens o ministério primeiro verificou a existência da matrícula. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.