Governo ameaça cancelar reunião com MST

O governo federal decidiu endurecer com o Movimento dos Sem-Terra (MST) e anunciou que vai cancelar a reunião que estava marcada para a próxima quarta-feira com o movimento, caso as famílias que ameaçam invadir a fazenda Renascença, do embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima, em Uruana (MG), não abandonem a área. O MST anunciou que vai engrossar a manifestação na região.Apesar de cancelar a reunião, o governo manterá a promessa que fez após sete horas de reunião com a comissão do MST, na noite de quinta-feira. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) garantiu que atenderá a quase todas as reivindicações do movimento. "É lamentável que eles mantenham o clima de tensão na área porque houve vários avanços na pauta. O MST é que está sendo intransigente", disse Eduardo Freire, que coordena o grupo de negociação do Incra. O governo decidiu receber o MST na quarta, antes da retirada das famílias de Uruana, para demonstrar que não estava sendo intransigente.O presidente do Incra, Sebastião Azevedo, disse que o governo federal vai continuar atendendo a quase todas as reivindicações do movimento, mesmo que as famílias não abandonem Uruana. Esta é uma forma que o Incra encontrou para mostrar à sociedade que o atendimento da pauta está desassociado de suposta perseguição aos sem-terra e que a manifestação é política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.