Governo adia instalação da comissão da reforma da Previdência

O governo decidiu adiar, de amanhã para quinta-feira, a instalação da Comissão Especial da Câmara que vai analisar a reforma da Previdência. Os líderes dos partidos aliados queremevitar um confronto entre os servidores públicos, que programaram uma grande manifestação para amanhã, na capital federal, contra a reforma da Previdência. "O funcionalismo pode achar que é uma provocação a instalação da comissão", argumentou o vice-líder do governo na Câmara, deputado professor Luizinho (PT-SP). Reunida hoje, a bancada do PT resolveu que vai apresentar entre seis e oito emendas à reforma da Previdência. A idéia é aglutinar as mais de 160 propostas de alteração feitas por petistas. O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e os coordenadores da bancada do PT farão uma triagem das propostas. Já está decidido que o partido não apresentará, por exemplo, emenda propondo o fim da taxação dos servidores públicos aposentados e pensionistas. "O governo tem dito que o núcleo da proposta não pode ser atingido", observou o líder do PT na Câmara, deputado Nelson Pellegrino (BA). "Mas acho possível criarmos alternativas?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.