Governo adia envio de projeto da reforma tributária

Na reunião de hoje da coordenação política, o governo decidiu intensificar o corpo-a-corpo no Senado para garantir o votos necessários à aprovação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) em primeiro turno, entre os dias 12 e 15 de dezembro. Na mesma reunião, ficou decidido o adiamento do encaminhamento ao Congresso da proposta de reforma tributária. O governo vinha trabalhando com o cronograma de enviar o projeto até quinta-feira. Na avaliação dos ministros que participam da coordenação política, essa mudança de estratégia não significa um descumprimento do acordo com a oposição para que o projeto da CPMF fosse aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado - governo havia prometido enviar ao Congresso a proposta de reforma tributária até o fim da semana. Lula e os ministros também disseram que é preciso demonstrar para oposição que todos os acordos vão ser cumpridos. "É preciso estabelecer um clima de confiança pois nós ainda temos três anos de governo", disse um dos ministros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.