Governo abre investigação própria sobre atos de Waldomiro

O ministro da Secretaria de Coordenação Política e Assuntos Institucionais, Aldo Rebelo, informou hoje, em entrevista no Palácio do Planalto, que vai instalar uma comissão de sindicância para investigar as atividades do ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Presidência da República, Waldomiro Diniz, durante o período em que ele trabalhou no governo. Segundo o ministro, a comissão será integrada por três funcionários de carreira do Poder Executivo que não trabalharam diretamente com Waldomiro e terá prazo de 30 dias para apresentar um relatório.Ele afirmou que não há conflito entre sua Secretaria e a Casa Civil, onde Waldomiro atuava. Segundo ele, o ministro José Dirceu apóia a sindicância. Rabelo não quis responder se a comissão de sindicância tinha poderes menores do que os de uma CPI, "Não sei se são menores. Ela está amparada no estatuto do servidor público e seus procedimentos serão de acordo com a lei".Sobre a demora do governo em instaurar essa investigação, ele disse que a Polícia Federal e o Ministério Público já estão realizando apurações e que a sindicância é uma medida de precaução, pois não há indícios de que Waldomiro tenha cometido irregularidades no período em que atuou como assessor do Planalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.