Governistas tentam retomar hoje negociação sobre CPMF

Câmara e Senado terão dia sem votação em plenário. Além de ter sua semana encurtada pelo feriado da próxima quinta-feira, 30, Câmara e Senado terão uma sessão a menos em função da sessão conjunta de hoje do Congresso Nacional. Na pauta, a eleição dos integrantes do Conselho de Comunicação. O feriado e a não-realização das sessões, hoje, no entanto, não devem atrapalhar o calendário para aprovar a proposta de emenda constitucional que prorroga a CPMF até dezembro de 2004. O primeiro turno deve ser votado no dia 4 e, para isso, serão realizadas duas sessões deliberativas pelo Senado na próxima sexta-feira. Mais duas serão realizadas na segunda-feira - e, na terça-feira, ela poderá ser votada. As lideranças governistas devem aproveitar a terça-feira para retomar a negociação no Senado sobre a supressão da noventena na cobrança da CPMF. A reação do presidente do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), contrária ao fatiamento da emenda constitucional e a promulgação apenas de parte do texto, sem a noventena, deve exigir dos governistas novas negociações. Até ontem, havia a interpretação de que suprimir a noventena não seria alteração de mérito e, portanto, não exigiria a volta do texto à Câmara - hipótese negada por Tebet. MP do mínimoNa Câmara, está marcada para as 14 horas de hoje sessão da Comissão de Constituição e Justiça que deve tratar da questão de ordem sobre a votação das emendas à medida provisória que reajustou o salário mínimo. O governo quer votá-las em bloco, enquanto a oposição quer votar cada uma das propostas - que aumentam o salário acima do valor de R$ 200,00 estipulado pelo governo. A previsão dos parlamentares é de que não haverá quórum, e a votação da questão de ordem deve ser adiada. Líderes governistas já descartaram a hipótese de votar a medida provisória do salário mínimo esta semana. Fora do Congresso, o PSB reúne-se hoje em Brasília, a partir das 9 horas, para discutir a escolha do vice na chapa do seu pré-candidato a presidente da República, Anthony Garotinho. Estão cotadas a deputada Luíza Erundina (PSB-SP), a prefeita de Natal, Vilma Maia, e o ex-goleiro e deputado estadual mineiro João Leite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.