Governistas tentam recriar pela 3ª vez CPMF

Os deputados governistas que carregam para o Planalto o peso da recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) registravam ontem dissidências de até 20% nos partidos da base na terceira tentativa de votar a proposta que institui a Contribuição Social para a Saúde (CSS), além dos votos contrários de pequenas bancadas como PV, PMN, PHS e PSC.Para aprovar a cobrança são necessários 257 votos. Segundo os cálculos governistas, a base deverá reunir em torno de 270 a 280 votos. O placar é considerado apertado.Nos últimos dias, os aliados federais não se preocuparam com o quórum na Câmara e a votação, marcada inicialmente para hoje, só poderá acontecer em sessão à noite. Líderes partidários antecipam que querem deixá-la para amanhã, quando esperam garantir os votos necessários em suas bancadas.Desde quinta-feira passada não houve sessão ordinária no plenário e não foi cumprido, assim, o prazo para o relator do projeto na Comissão de Seguridade Social, Rafael Guerra (PSDB-MG), apresentar seu parecer. O pedido de prazo por parte de Guerra foi uma manobra da oposição, que, com isso, conseguiu adiar em pelo menos uma semana a votação da CSS. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.