Governistas querem mudar conceito do mensalão, diz Delcídio

O presidente da CPI dos Correios, senador Delcídio Amaral (PT-MS), disse que a base governista vai concentrar sua estratégia em dois focos para alterar o relatório final apresentado ontem. Os aliados do Planalto vão tentar excluir algumas pessoas da lista de indiciamentos e modificar a conceituação de mensalão. "A idéia é desconectar os saques com as votações realizadas no Congresso para deixar apenas os que teriam sido usados para outras coisas. Ou seja, que o mensalão não foi utilizado para a compra de consciência", disse o senador. Ao confirmar que o PT tentará modificar a tese do mensalão, Delcídio completou: "Eles (governistas) querem dar uma qualificação diferente". O relatório afirma que o mensalão existiu e rebate a versão de que o dinheiro repassado aos beneficiários seriam para o caixa 2 das campanhaseleitorais. A tese do caixa 2, recursos de campanha não contabilizados, foi adotada pelos ex-dirigentes do PT e pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para justificar o mensalão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.