Governistas querem evitar comissão de MP de Meirelles

Os parlamentares da base governista não vão dar quórum para a instalação da Comissão Mista que analisa a Medida Provisória que elevou o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, a status de ministro. A intenção do governo é impedir a instalação da comissão, e evitar os debates sobre o assunto, por parte da oposição, e o conseqüente desgaste do governo. A reunião para a instalação da comissão está marcada para esta tarde, quando deverá ser eleito o presidente, indicado o relator e iniciados os trabalhos. "Só tem uma semana para a comissão funcionar. O País não precisa disso", afirmou o líder do governo na Câmara, professor Luizinho. Pelas regras de tramitação da medida provisória, a comissão da MP de Meirelles tem prazo de funcionamento até o dia 29. Depois disso, instalada ou não, e votado ou não o relatório, a MP segue para ser analisada pela Câmara. Na última quinta-feira, a oposição tentou instalar a comissão sem sucesso. Para a instalação é necessário um quórum mínimo de cinco deputados e cinco senadores. A maioria dos integrantes, porém, é da base aliada. A intenção do governo é votar a MP diretamente nos plenários da Câmara e do Senado, para evitar o desgaste político como o que ocorreu na comissão mista que discutiu a MP do salário mínimo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.