Governistas não derrubam reunião da Executiva do PMDB

Os governistas do PMDB, que assinaram ontem requerimento pedindo a convocação da Executiva Nacional para esta quinta-feira, enviaram um novo documento à presidência do partido, cancelando as assinaturas dadas, o que tornaria prejudicada a convocação da reunião. Mas como o documento só chegou à presidência por volta da meia-noite de ontem, alguns governadores, prefeitos e deputados já estavam a caminho de Brasília para participar da reunião. O presidente do PMDB, Michel Temer, decidiu, então, manter a reunião da Executiva, só que com o objetivo inverso. Os governistas queriam usar a oportunidade para derrubar as prévias partidárias que irão escolher no domingo o candidato à Presidência da República. Agora, no entanto, os dirigentes se reúnem em um ato de apoio à consulta interna, que está mantida.A luta interna entre governistas e defensores da candidatura própria fez ontem sua primeira vítima. Os dois pré-candidatos (governador licenciado do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, e o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho), uniram-se ao presidente do partido, Michel Temer e conseguiram derrubar o líder do PMDB na Câmara, Wilson Santiago (PB), que aderira aos governistas na articulação contra as prévias. Com 49 assinaturas de deputados na bancada federal de 82 parlamentares, o grupo elegeu o deputado Waldemir Moka (MS) como novo líder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.