Governistas manobram para mudar regimento

Articulação visa a impedir que oposição na Câmara obstrua sessões e empurre votações até madrugada

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2021 | 00h00

Faltando cerca de 30 votações nominais para concluir a aprovação da CPMF na Câmara em primeiro turno, os líderes governistas planejam uma manobra regimental para aprovar a emenda na semana que vem. Os aliados querem alterar o regimento interno da Casa para impedir que a oposição consiga empurrar as sessões pela madrugada adentro. O plenário, anteontem, levou 13 horas para votar o texto básico da CPMF.Os líderes governistas fizeram um levantamento indicando que a Câmara gasta, em média, nove horas para votar uma medida provisória, por causa das manobras de obstrução. Para atrasar a votação da CPMF, a oposição apresentou 65 emendas aglutinativas até ontem, que vão exigir votações nominais. Além disso, existem mais dez destaques a serem votados.Os governistas sabem que, além desses instrumentos de manobra, a oposição tem um arsenal de requerimentos pedindo adiamento de votações. A idéia é limitar a um o número de requerimentos para adiar votações ou retirar a proposta de pauta. Por enquanto, porém, o entendimento é de que não é possível limitar as emendas aglutinativas já apresentadas.O estudo para limitar a atuação da minoria já foi levado à reunião da Mesa pelo segundo vice-presidente da Casa, Inocêncio Oliveira (PR-PE).Há uma crescente insatisfação dos aliados, que consideram abusiva a atuação da oposição. Na sessão da CPMF, por exemplo, foram apresentados requerimentos que pediam o adiamento da votação por dez, nove, oito, sete, seis e cinco sessões. Cada requerimento pode consumir até uma hora em discussão e encaminhamentos.O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), reclamou: "Vou conversar individualmente com cada líder." A secretaria da Mesa passou a madrugada de ontem analisando cada emenda aglutinativa e constatou que 45 não atendem aos critérios exigidos. Mesmo assim, serão 20 votações nominais só para as emendas.Chinaglia pretende encerrar o primeiro turno na próxima semana. Entre o primeiro e o segundo turnos é preciso cumprir o prazo de cinco sessões da Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.