Governistas elogiam acordo com FMI; oposição critica

Os termos do acordo firmado com o Fundo Monetário Internacional (FMI) mereceu hoje a aprovação dos líderes dos partidos governistas da Câmara e as críticas dos oposicionistas. Os aliados do presidente Fernando Henrique Cardoso consideraram "muito positivo" o empréstimo de US$ 15 bilhões e avaliaram que o acordo mostra ao mercado financeiro internacional que a economia brasileira vai bem e se diferencia da Argentina. "O empréstimo do FMI é muito importante para economia do País porque dá uma blindagem de confiança ao mercado internacional e demonstra que temos apoio também da comunidade financeira externa", disse o líder do PSDB na Câmara, deputado Jutahy Magalhães Júnior (BA)."Acho muito importante esse acordo porque isso possibilitará ao governo brasileiro ter um colchão para usar se tiver necessidade", afirmou o líder do PFL, Inocêncio Oliveira (PE).Para o líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA), a negociação com o Fundo acabará "estourando" nas mãos do próximo presidente. "O atual governo está apenas buscando para si um alívio, depois da crise na Argentina", disse o petista, ao argumentar que a dívida do empréstimo de US$ 15 bilhões ficará para o próximo governo. "Essa é uma atitude típica de um governo que se preocupa apenas com o capital", alegou Pinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.