Governistas duvidam de que ACM saia beneficiado

A despeito de aliados do Palácio do Planalto terem identificado um grande acordo na operação de desmonte da CPI da Corrupção e de os partidos de oposição terem apontado como prova o recuo do grupo ligado ao senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), um influente colaborador do presidente Fernando Henrique Cardoso garante que a "recomposição" vai acabar fracassando. Para ele, ACM não sairá beneficiado no Conselho de Ética do Senado. A aposta tem razões concretas. Preocupados com os prejuízos que as suspeitas de um "acordão" podem provocar na imagem de Fernando Henrique e de seu PSDB, dirigentes tucanos e articuladores políticos do governo já começaram uma reação.Leia mais no site do Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.