Governistas do PMDB devem ir à Justiça para impedir convenção

O senador Ney Suassuna (PB), que integra a executiva nacional do PMDB e apóia a permanência do partido no governo, disse, nesta quarta-feira, que a ala que defende a permanência nos cargos no Executivo - derrotada hoje na reunião da executiva nacional - deverá entrar na Justiça para impedir a realização, no dia 12, da reunião da convenção nacional convocada por 11 diretórios estaduais. Segundo Suassuna, o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), chegou a admitir, na reunião da executiva nesta quarta, que a realização desta convenção é passível de medida judicial. Ainda na reunião de hoje, que transcorreu em meio a tumultos e bate-bocas entre os grupos pró e contra a permanência no governo, o ex-governador de São Paulo Orestes Quércia foi um dos mais incisivos defensores da convenção, afirmando que ela se realizará de qualquer jeito, segundo relataram senadores peemedebistas. Ney Suassuna deverá reunir-se, ainda hoje, com o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), e outros integrantes do grupo governista para decidir sobre o recurso à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.