Governadores preparam agenda própria para PAC, diz Aécio

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), voltou a falar sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) durante entrevista exibida na noite de terça-feira, no Jornal das Dez, da Globo News. Ele insistiu na reclamação de que o governo federal deveria ter ouvido os Estados antes de anunciar o pacote e adiantou que os governadores estão preparando uma agenda própria. "Os governadores estão se comunicando regionalmente e, já na semana que vem, haverá uma reunião, na qual queremos fazer uma compilação dessas demandas", afirmou o tucano. "Para, quem sabe, construir uma agenda que permita aos Estados participar do projeto de crescimento do País". Cotado para disputar a Presidência da República em 2010, Aécio reclamou do fato de o governo ter deixado os governadores em segundo plano. "Nós vivemos em uma federação e não em um Estado unitário", disse o governador mineiro. De acordo com ele, é preciso se buscar uma complementaridade de investimentos entre as prioridades dos Estados e aquelas do governo federal. Pontos positivos O tucano ressalvou que, mesmo pertencendo à oposição, acredita na necessidade de uma parceria com o governo federal quando o assunto é crescimento e melhoria da qualidade de vida da população. Ele citou alguns pontos que considerou positivos no pacote, como a disposição de mobilizar o setor privado para investir, a ampliação do prazo de financiamento dos investimentos em energia elétrica, a medida provisória dos semicondutores e os investimentos em habitação e saneamento. Desonerações Aécio observou ainda que é necessário discutir com profundidade o impacto das desonerações de impostos nas receitas estaduais. "Não é nem o caso de Minas, mas dos Estados que têm em suas receitas uma grande parcela do Fundo de Participação", disse o governador tucano. "Faltou talvez um pouco de desprendimento para ouvir os Estados e adequar as prioridades de ambos", insistiu Aécio. "Isso seria muito mais racional e muito mais efetivo para o Brasil".

Agencia Estado,

24 Janeiro 2007 | 11h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.